sábado, 28 de agosto de 2010

JUSTIFICATIVA DO DIALETO MINEIRO

No nosso país existem vários sotaques, o nortista, nordestino, mineiro, paulista, carioca e o sulista, devido as várias etnias indígenas que ocupavam tais espaços antes da chegada dos europeus em nosso território.  Não podemos deixar de citar o mais novo sotaque  e dialeto que é o resultado  da miscigenação das regiões brasileiras desde a fundação da capital federal. Nos últimos anos o falar do brasiliense (candango ) tem se personalizado e é muito forte a influencia mineira e nordestina, tanto no falar como na alimentação como em toda cultura.
Com isso nossa Língua tomou cor, segundo Possenti em sua obra "A cor da Língua ".  Porém  sotaque e dialeto são coisas distintas, no primeiro há entendimento do que se ouve, ao passo que no segundo, principalmente quando nossos sentidos não estão habituados àquela linguagem, temos dificuldade  em entender o que ouvimos.
Exemplo:
O carioca fala: pão de queijo; limpe o quarto de Lúcia; compre um litro de leite; ponha em baixo da pia.
O mineiro  diz: pãodjiqueij; limpquardjiLúcia; comprelidjileiti; ponhaimbaidapia.
Qual de nós nunca tenha ouvido um mineiro falar, ou mesmo lido alguma piada referente à fala mineira. Impossível!

Traços Fonéticos

O dialeto mineiro apresenta peculiaridades, tais como:
a) Apócope das vogais curtas, parte é pronunciado part' (com o " T " levemente sibilado; e também do "D" no gerúndio;
Exemplo: comendo passa a ser comendu ou comenu.
b) Permutação de " E " em " I " e do " O " em " U " quando são vogais  curtas;
 Exemplo: espada passa a ser ispada; estômago passa a ser  istomagu.
c) Aférese do " E " em palavras iniciadas por "ES " e a troca do " E " no final da palavra por "I ";
Exemplo:  esport para sporti.
d) Flexão do artigo no plural, à semelhança do caipira;
Exemplo: Os livros, é dito us livru;
                Meus filhos, se pronuncia, se pronuncia meus filiu.
e) Alguns dos ditongos  " FIO " passam a ser vogais longas "FII ", e todos os ditongos "OU "  e  "EI ", tais como: frouxo, pouco, louco, mineiro, sapateiro, carroceiro; passam a ser : froxu, pocu, mineru, sapateru, carroceru, respectivamente;
f) As palavras terminadas com os dígrafos: lh  e  nh, , tais como : espelho, pinho, ninho, caminho, ; passam a ser ispeliu,pin,ninh, camin e seus diminutivos ispelin; ninzin, pinzin e caminzim;
g) Contração frequente de locuções: " abra as asas" passa a ser abrazaza;
h) Palavras com S ou Z  e não no final como é em vários idiomas.
Exemplo:
a) Por que ocê  está questa cara que não é sua !
b) Quést's  crianças! Mãe pedindo as crianças que fiquem quietas;
c) S'trudia - Noutro dia - advérbio de tempo;
d) José está demorandjimais!
e) Quanta z'ora? Alguém perguntando as horas;    
f)  LimpiquardjiRaphael!  - Limpe o quarto de Raphael!
E outros vocábulos soltos, tais como:
Pronuncia do mineiro
- iscovadjidente                                       - escova de dente;
- dendufornu                                           - dentro do forno;
-ansdjiontem                                           - antes de ontem;
-dentifrissu                                              - dentifricio;
-setssetembru                                          - sete de setembro;
- sapassado                                             - sábado passado;
- tidjiguerra                                              - tiro de guerra;
- oliiuchêru                                               - olha o cheiro;
- prazdaliberdadi                                      - praça da liberdade;
- vidjiperfumi                                            - vidro de perfume;
- oliaprocêvê                                            - olha pra você ver!;
- tirissodaí  !                                             -  tira isso daí!
- ondiéquié?                                             -  onde  é qui é?
- ondjiéqu'stô?                                          - onde é que estou?
- diacompadi! dia sô!                                - bom dia compadre! bom dia Senhor;
- caisopô                                                  - caixa de isopor;
- praonnóistamuinnu?                                - pra onde nós estamos indo?
- imbaidapia                                             - em baixo da pia

Justificativa

No dialeto mineiro, assim como nos demais , das outras regiões do nosso país, as pessoas suprimem o "m " da palavra " homem " em razão desta ter origem no latim  " homo", também suprimem  nos substantivos terminados em "Em ", tais como: folhagem,, carruagem, ferragem e outras.
Exemplo: folhagi, carruagi, ferragi.
No latim o "A, E e o O", não se transformam, porém, o "I" se transfoma em "E e o U" se transforma em "O". Já na Língua Portuguesa brasileira,  o "A " não se transforma , porém o "E e o  O", são reduzidos a "I e U" respectivamente, quando a última letra é uma vogal curta.  Mesmo ocorrendo em outras regiões  a pronuncia do mineiro é mais acentuada.
Exemplo:
cinzeiro - cinzeru; copeiro - coperu; caderno - cadernu; diamante - diamanti; dinamite - dinamiti; estante - istanti.
No Latim ocorre a sonorização de consoantes intervocálicas surdas  em sonoras  daquelas que estão entre vogais, quando da transposição para o português.
Exemplo:
capo - cabo; amadum - amado.
É ponto marcante a Apócope das vogais curtas como " Parte " que é pronunciado "Part' " com o "t" levemente sibilado, e também o "d " no gerúndio  como "Comendo " passa a ser "Comendu".
Derivada do Latim a palavra "spngia" quando transposta para a Língua Portuguesa, passou a ser "esponja" ocorre  a aférese  do " E " em vocábulos iniciado por "ES".
Exemplo:
esporte para sporti - com a redução do " E" no final da palavra para "I".
É bom frisar, que em todo país ocorre  a supressão do "E" nas palavras começadas por "ES", logo não se trata de exclusividade do falar mineiro.
Exemplo:
espada - ispada; escola - iscola,  espreme - ispreme - 3ª pessoa do singular, do presente do indicativo do verbo espremer; espumante - ispumanti.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário